Login
Artigos Semanais
A Vida em Dois Planos
13/02/2014

Aprendemos que somos um ser espiritual e que vivemos num corpo físico, certo? Como ser espiritual, somos eternos, não há morte, mas nos confundimos com nosso corpo e passamos a temer a morte.

Uma coisa é a Atividade da Consciência Divina, outra coisa é o mundo eletromagnético de ação-ligação e repulsão-rejeição. Um é a existência real e eterna, o outro é a junção de elementos em vibração de baixa densidade, oriunda da mesma Consciência, onde por atuação direta da Inteligência Divina impregnada nos elementos formam a matéria, nossos corpos pelos quais podemos nos expressar.

Como nós vivemos no plano físico estamos diretamente relacionados com a matéria e governados pela lei de atração e repulsão, que controla e assegura a vida neste plano, então é comum nos confundirmos entre o que somos e o que temos. Somos um ser espiritual e temos um corpo de matéria, mas não somos matéria.

A matéria é uma energia condensada, segundo Albert Einstein, mas, no entanto a própria ciência acredita que o universo é matéria que desenvolveu ou possui consciência. Quando que na realidade o universo é consciência, que baixou sua vibração para se manifestar no plano físico. (Consciência é um tipo de energia)

Para formar corpos as moléculas se sustentam umas junto das outras por uma lei eletromagnética de atração e repulsão. Se desativarmos essa lei se desintegraria os corpos e se elevássemos a vibração, desapareceria a matéria. Agora vem o grave, quando o ser espiritual que habita um corpo permite que a lei de atração e repulsão governe sua vida ele se torna um individuo egoísta, porque essa lei quer atrair tudo, não se importando como ou de quem e quando afasta, repulsa, para se defender, pode até atacar e destruir outra vida.

Como somos um espírito e não matéria é de nossa obrigação ter o domínio e manter o equilíbrio entre essas duas forças, para garantir a sobrevivência física sem prejudicar os outros. Volto a enfatizar: Esta lei foi criada para que existisse vida física, material, para que as moléculas se juntassem e juntas formam os corpos físico e esses corpos físicos se utilizam desta lei para prover suas necessidades e afastar o perigo. Como é o ser que deve governar seu corpo e não o corpo ao ser, quando esse ser permite ser governado, cria-se o desequilíbrio e nasce o ego. O ego não é outra coisa que a lei de sobrevivência desgovernada, onde não há limite para ter e nem limites para afastar, daí se toma, arranca, pega, rouba, abusa, etc. Ou por outro lado fasta, empurra, agride, mata... Todos os defeitos humanos, o nome já diz humano, nascem do ego que por sua vez, surge do desequilíbrio da lei de sobrevivência.

Tudo tem sua origem na “Consciência Divina” (Deus Manifestado) e este da “Consciência Universal” (Deus Imanifestado), único real e verdadeiro, as demais manifestações, não passam de variações de vibrações que ao cessarem, voltam ao estado original.

O estado atual desta humanidade, sua realidade está oculto nos impulsos egocêntricos, primitivos, dos quais a vida física depende. Estamos presos neste mundo e não encontramos saída e nele não encontramos felicidade plena, tudo ao contrário, criamos a dor, o sofrimento, às guerras e insistimos com esse método insano que não tem volta nos leva a destruição.

Precisamos alimentar nossa consciência, (Que é parte da Consciência Divina) assim como alimentamos o corpo físico, para que ele sobreviva. Pois ela é a fonte de toda alegria, amor contentamento, satisfação, realização, plenitude. Mas qual é o alimento da consciência?

Tudo nesta vida é vibração, quanto mais baixa é a vibração, mais densa é a vida, mais longe da Fonte da existência, a “Consciência Divina”, tudo é mais difícil, mais dor e sofrimento. A doença é um estado de vibração inferior, prova disso é a musicoterapia, muito utilizada nos hospitais e que tem ajudado na cura das doenças e na melhora do paciente, pela elevação das vibrações através das notas musicais.

A mente humana é a fonte que determina a vibração em nós, como ela, a mente está presa a dogmas religiosos em que a dor e o sofrimento agradam a Deus, e condicionada pela ciência materialista, em que limita a mente aquilo que é palpável, reduz o campo de percepção da realidade Divina, torna-se difícil criar vibrações superiores que nos aproximariam da Fonte da Vida. Nessas condições só temos incertezas.

A mente deve se libertar do dogma religioso e do materialismo científico, conceitos que não passam de prisão para nossa mente, para penetrar nas esferas superiores da consciência da vida, que está além do que a mente engarrafada pode alcançar. Os santos, os mestres divinos, os visionários, souberam se nutrir da consciência que tudo sabe e tudo tem por isso mudaram a história da humanidade.

Para alcançar isso que a mente não compreende, devemos silenciá-la e em profunda meditação perceber o real; Pedir a essa consciência Divina que palpite em nós, dando a compreensão da verdade (Oração); Afirmar com a mente vibrante, de que essa realidade está se manifestando em nós. Talvez por isso Jesus afirmava, “Eu Sou a Luz do mundo”, “Eu Sou a verdade e a vida”. “Eu Sou a ressurreição e a vida eterna”.

Assim, com a consciência em alta vibração se faz presente, ligada a Consciência da Vida, entramos num estado de graça em que a própria natureza conspira a nosso favor, desaparecem as guerras e a paz reina neste mundo.

Enio Chiappetti

Data
Artigos
As páginas deste site são acompanhadas com músicas que elevam a consciência.