Login
Artigos Semanais
O Natal
25/12/2013

Todos os anos escrevemos uma mensagem sobre o Natal. Todos os anos transmitimos por meio de conferência no final de ano, as mensagens natalinas. Notamos que repetimos as mensagens dando uma conotação diferente, mas sem sortir o efeito desejado.

Neste ano, vou ser mais objetivo e menos simbólico. O Cristo histórico, aquele construído pelas vãs compreensões humanas, não muda a humanidade. O Cristo histórico aprisiona a humanidade e de prisão é o que mais entendem os sistemas religiosos e políticos desse mundo doente. Sofremos de insanidades mentais e por conta disso confundimos todos os ensinamentos transmitidos por Nosso Senhor, o Cristo, e, ao invés de nos libertar do jugo pesado deste mundo, nos aprisionamos ainda mais.

Sugiro dar um basta aos velhos conceitos de que Deus castiga e de que a religião tenha algum tipo de poder para libertar os seres humanos. Mais e mais ignorantes ficamos quanto mais o tempo passa porque queremos que o mundo mude e não mudamos a nós mesmos. Queremos que as religiões nos salvem para não termos o trabalho de nos auto-observar e corrigir nossas falhas. Em pleno século XXI, pagamos os religiosos para eles resolverem nossos problemas. Em nada mudamos da época em que se comprava indulgência em troca de grandes propriedades de terras passadas para o nome da igreja.

O tempo passa e o ser humano não muda. Acreditamos em um Deus e lutamos uns contra os outros, acreditando que o mesmo Deus está nos apoiando. Acreditamos que seja um castigo de Deus quando algo de mal nos acontece ou acontece com nossos irmãos. Ainda não compreendemos a lei do eletromagnetismo que rege o planeta. Esta mesma lei cria a reação de toda a ação. Todo o mal que produzimos recai sobre nós, não porque Deus castiga, mas por reação ocasionada pelo mau uso da liberdade.

Todo pensamento negativo, de vingança, rancor, remorso, raiva etc. paira sobre nossa cabeça como uma nuvem escura e acaba gerando em nós o aborrecimento, tristeza, angústia e falta de entusiasmo pela vida. Jesus ensinou, “faça ao outro o que queres para ti”. Ele conhecia esta lei de reação que tudo o que produzimos, regressa com a mesma intensidade.

De que adianta celebrarmos o Natal do Cristo, se não lembramos e não praticamos seus ensinamentos? Hipócritas. Compramos a amizade com presentes, cheios de sentimentos irreais. Dessa forma, tem sido em vão Seu nascimento entre nós. Lembre-se que “aquilo que fazes para teu irmão é para ti mesmo que fazes”. O Natal se avizinha e nós continuamos a matar para viver. É a morte que nos espera. Nossos irmãos marginalizados nos atacam aleatoriamente e nos atacamos da mesma forma, esperando diminuir a violência. Isso é pura insanidade. Todos sabemos que a violência gera violência, mas continuamos a atacar para se defender. A resposta é mais ataques.

Chega de se autoenganar. Se não podemos mudar o mundo, mudamos a nós mesmos e teremos mudado o mundo que nos rodeia. Distribuímos simpatia, carinho, amor, bondade, compreensão. Sejamos tolerantes, alegres e cheios de entusiasmos e com pensamentos positivo de que tudo o que queremos iremos realizar por lei e descobriremos que o mundo se tornará assim para nós. Isso não é utopia, é lei, lei universal que rege todo mundo dual. É o equilibro entre os astros no sistema solar, o positivo e negativo que cria o neutro, a estabilidade que é a luz.

Neste Natal não falarei do nascimento do menino Jesus em Belém dentro de uma manjedoura que demonstra nossos erros e de onde Ele pode e deve se levantar e tornar-se o Cristo. Falarei de sua mensagem, de como se tornar um Cristo; Nos tornaremos como Ele no dia em que tratarmos os nossos irmãos como gostaríamos de sermos tratados, lembrando que é lei, dar para receber e se recebe exatamente aquilo que se dá. O que estou dando ao mundo? O que estou dando a meu irmão? Minha esposa, filhos, pais, parentes e amigos? Isso que estou dando é o que eu vou receber. Afora isso, é comprar indulgências em pleno século XXI.

Não tenhamos medo de nos desarmar. Só ataca aquele que tem medo. Só agride aquele que necessita de ajuda porque está perdido. Essa é a forma de pedir socorro. O sábio silencia porque tudo sabe. Nós só explicamos quando queremos aprender, adoecemos para ser curados.

Mudemos nossa mente e mudaremos o mundo. Quando entendemos que não existe o outro e que teu irmão és tu em outro corpo então seremos um Cristo.

Feliz Natal!

Enio

Data
Artigos
As páginas deste site são acompanhadas com músicas que elevam a consciência.