Login
Artigos Semanais
O mundo como vemos é uma ilusão
04/07/2013

Quando observamos detidamente as coisas ao nosso redor, nos damos conta de que de fato não existem. Aprendi que as coisas que de fato existem, existem para sempre, são eternas e imutáveis e tudo o que tem um fim, na realidade não existiam, era uma ilusão, uma espécie de miragem.

Para entender esta realidade, temos que encontrar alguns exemplos, caso contrário pode virar uma paranóia. A mente humana não consegue captar certas realidades, em virtude de estar fundamentada em conceitos tridimensionais. Assim como nosso ouvido não capta todos os sons e nossa vista todas as cores, igualmente nossa mente não percebe certas realidades e outras que percebe na verdade não existem, são criações da própria mente.

Para que algo venha a existir neste mundo da forma, é necessário que antes seja criado na mente de alguém. Assim são os carros em seus últimos modelos, as casas que idealizamos as roupas que seguem a moda, etc. Da mesma forma, nasce em nossa mente nossa condição de vencer na vida, nossas realizações. São os sonhos que realizamos, mas mais que isso, criamos também nossa alegria ou tristeza, felicidade ou infelicidade, dor, sofrimento e até a doença nasce na mente do doente.

Poderíamos continuar e explicar que as desgraças, as separações, a falência da empresa e tudo nesta vida é uma conseqüência daquilo que criamos a partir do pensamento. Muitos deste pensamento são criados para prejudicar outros, mas como conseqüência e lei de retorno (Tudo volta à fonte que o gerou) acabam por nos prejudicar.

Nossa conduta vai delineando o que sucederá conosco no futuro, mas nossa conduta é gerada na mente que forma o pensamento e este magnetiza as forças necessárias para a concretização daquilo que a mente criou.

Este mundo, não é outra coisa do que uma ilusão, criada pela mente humana. A soma de todas as criações mentais dos seres humanos é este mundo e a única finalidade dele é nos mostrar isso: Que isso não existe; que o que existe verdadeiramente, existe para sempre, nunca morre, é eterno; nós mesmos somos seres eternos, imutáveis, mas para compreender nossa eternidade, vivemos um mundo ilusório de finitude onde a morte nos ensina que somos eternos. Só na ausência daquilo que somos, podemos compreender aquilo que somos. Em outras palavras, só vivendo o irreal, podemos compreender o real. Compreendendo o que não somos, entendemos o que somos; Só vivendo aquilo que não é podes compreender aquilo que eres.

Jesus disse que não era deste mundo, (Meu Reino não é deste mundo) porque este mundo é irreal, ilusório e Seu mundo é o verdadeiro mundo, o que não morre. Sua ressurreição foi para demonstrar que a morte não existe e este mundo é ilusão, aquilo que existe, continua a existir após a morte aparente e continuará a existir para sempre.

Desta forma vemos que as trevas não existem, elas são ilusórias, (Ausência da luz) quando a luz chega, elas desapareceram, pois na verdade é uma ilusão, como se fosse o oposto da luz, mas a luz não tem oposição. Quando a luz chega as trevas desaparecem porque elas não existem. Tanto é verdade que se você fazer ao contrario, levar as trevas onde tem a luz, a luz continua a existir e as trevas somem novamente.

Assim é a vida eterna, assim é Deus, nada se opõem a Ela ou a Ele, (São a mesma coisa), pois Ele é o que é e não há outra coisa alem Dele. Quando o ser humano, aceitar que é um ser espiritual, uma manifestação de Deus e não um corpo, corpo ele possui para viver esta experiência irreal, para entender sua realidade, então viverá na vida eterna e a morte deixará de existir para ele e compreenderá que é o que é pela experiência do ilusório e irreal.

Nós só entendemos de fato o que somos vivendo aquilo que não somos, mas o que não somos não existe, não pode existir, pois só existe aquilo que somos.

Enio Chiappetti

Data
Artigos
As páginas deste site são acompanhadas com músicas que elevam a consciência.