Login
Artigos Semanais
Lava Pés
27/03/2013

Este ritual que se repete até os dias de hoje é carregado de um simbolismo transcendente. Ele teve lugar na casa dos Marcos, o chefe desta casa já não vivia, a sua senhora se chamava Maria e tinha um filho que levava o nome do pai falecido que mais tarde tornou-se um dos mais importantes evangelistas, "Marcos".

Este ato se realizou um dia antes da morte física de Jesus, por tanto era uma ceia de despedida e nela se dava o encerramento de sua missão terrena para aquela época. Todos estavam muito tristes, mas não entendiam o motivo, Judas já havia saído por ordem de Jesus, para cumprir com seu papel.

Jesus se levantou tirou o manto pegou uma toalha e "cingiu-se com ela". Depois colocou água numa bacia e começou a lavar os pés dos discípulos e a enxugá-los com a toalha com que estava cingido (João 13, 4-5). Os discípulos resistem. Pedro reage fortemente. Ele expressa o que provavelmente está no coração de cada um dos discípulos, "Senhor, vais lavar os meus pés?" E Jesus respondeu: "Tu não sabes o que estou fazendo, depois irás compreender." Pedro então respondeu: "Jamais lavarás os meus pés." Jesus respondeu "se eu não os lavar não terás parte comigo" (João 13,6-9). "Senhor, Lava-me não somente os pés, mas também as mãos e a cabeça" (João 13:9). Precisava de purificação para estar em comunhão com Cristo, Pedro não queria arriscar a rejeição pelo Senhor. Jesus explicou que só precisava lavar o que ainda estivesse sujo.

Vemos aqui um ato de extrema humildade por parte de Jesus, mas também um ato de "purificação". No caso da humildade fica fácil entender pelo exemplo que Ele passa aos seus: "Ora, se eu sendo o Senhor e o Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar os pés uns dos outros. Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também. Em verdade em verdade vos digo que o servo não é maior do que seu senhor, nem o enviado maior do que aquele que o enviou" (João 13:14-16).

Em cada frase de Jesus tem um conhecimento embutido que passa desapercebido e não é compreendido ainda, como, o "Reino de meu Pai"; "Na casa de meu Pai há muitas moradas"; "Aquele que vem a mim vai ao Pai e aquele que vai ao Pai vem a Mim, pois Ele e eu somos um só". Etc.

Assim que, dessa forma o lavatório dos pés tem um significado, tal como conhecemos, mas há por trás um ato que vai além da demonstração de humildade. Em realidade quando Ele diz: "Tu não sabes o que estou fazendo, depois irás compreender." Há algo não revelado, aliás, em quase tudo o que Jesus fazia tinha uma transcendência, a parte visível e a invisível, a parte humana e a divina, mistérios que só mais tarde os apóstolos compreenderam ainda em parte e parte que só será compreendido quando da vinda do Reino a este mundo ou no despertar da consciência de um discípulo.

Quando ele chegou a Pedro, este recusou a lavagem de pés. Mas, quando Jesus falou que precisava ser lavado para participar dele, Pedro mudou de ideia: "A purificação para ter comunhão com ele". É lógico que só lavando os pés não se purifica um homem então, o que Jesus fez, segundo meu mestre, foi cerrar os vórtices que temos em baixo das plantas dos pés, para não perder mais energia, pois eles iriam necessitá-la para suas obras posteriores. Todos nós pagamos um dízimo para a natureza e a natureza necessita desta energia para viver, mas como os apóstolos estariam a serviço do Pai Celestial, ficaram livres destes pagos e com a energia acumulada, seus poderes aumentaram de forma que fizeram as mesmas coisas que Jesus fizera.

Enio Chiappetti

Data
Artigos
As páginas deste site são acompanhadas com músicas que elevam a consciência.