Login
Artigos Semanais
A força que oculta o caminho
20/02/2013

Há milhares de anos, existe um poder oculto que mantém os homens presos a este mundo. Os homens são escravos desse poder e se o escravo se liberta, com que o escravizador viverá? Mesmo nos dias de hoje, esse poder oculto que domina a política, a economia e a sociedade de modo geral é o mesmo poder que está oculto em todas as ordens religiosas. Essas ordens continuam mantendo seus fiéis fora do caminho, pois se eles o encontram que finalidade terá essa religião organizada? De que serviriam se não tem ignorantes para conduzir? Tudo o que começa como algo bom, puro e libertador, logo o ego assume o comando em seu favor para se aproveitar da ignorância das pessoas e lucrar com elas.

O ego é material e mantém todos os seres acorrentados à matéria e dela dependentes com tamanho propósito a ponto de que o próprio indivíduo acha que não há vida além dela. Esta é a vitória maior do ego, mostrar que Deus é a morte e o sofrimento e que os prazeres da carne é o único que temos e quanto mais prazer carnal, vícios dependências, apegos, mais longe do "caminho" e mais presos aos sistemas estamos. O que a humanidade de hoje quer além do prazer, do desejo senão preencher as necessidades egóicas? Somos totalmente controlados e pensamos que somos livres.

As religiões nos últimos anos foram de tal forma dominadas pelo ego que determinadas pessoas se afastaram delas porque, geralmente, essas religiões subordinam a crença em Deus à aceitações passiva de suas doutrinas. As religiões não foram criadas por Deus e não são suas propriedades. Ao contrário, onde há pessoas bem intencionadas, seja qual for a religião e sua crença, ali está Deus nutrindo a vida e os corações dos sinceros, buscando por todas as formas lhe mostrar o "caminho". Por isso se diz que existem muitos caminhos, mas somente um tem coração. Ali naquela religião tem um caminho que deverá levar esse caminhante sincero ao caminho do coração.

De milhares de católicos um chega ao caminho. De milhares de judeus, um chega no caminho. De milhares de budistas, um chega ao caminho e assim por diante e de todos que chegam ao caminho, poucos conseguem caminhá-lo, pois se vê obrigado a abandonar seus apegos, vícios e isso é difícil. Referindo-se a esse caminho Jesus fala: "De cada mil um procura, de mil que procura um encontra, de mil que encontra um segue, de mil que segue um chega."

Foi por isso que ocorreu a perseguição aos cristãos primitivos. Foi por isso que pregaram Jesus na cruz. Porque Ele mostrou o "caminho". Revelou-se como o próprio caminho. "Eu Sou o caminho, a verdade e a vida." "Aquele que vem a mim vai ao Pai". Foi isso que Ele disse à samaritana que foi pegar água no posso. "Se soubesse o que diz dar-me de beber, me rogarias que te desse da fonte eterna, que é manancial de doce ambrosia e que daquele que dela bebe, não voltará mais a ter sede e viverá para sempre". Ela insiste: Como faço para beber desta água? E Jesus lhe diz: "Vá e traga seu marido que eu te darei."

Os apóstolos de Cristo não criaram nenhuma religião. Pedro não foi o primeiro Bispo de Roma. Foi o poder oculto que denominou Pedro com o primeiro papa para dar veracidade e sustentabilidade a seus poderes. O papa não é o representante de Deus, ele é antes um representante dos homens que buscam a Deus, que nem sonham como ele é eleito e o poder que tem por trás da própria igreja. Por mais que um papa seja verdadeiro em suas intenções, ele não pode mostrar o caminho que liberta os seres humanos, porque o poder oculto que domina a terra há milhares de anos não o permitiria sob pena de pagar com a própria morte como foi o caso de alguns.

Por que o papa Bento XVI se demitiu? Lembra que ele falou da "hipocrisia religiosa e do poder dividido do Vaticano?"

Quando Jesus começou sua pregação, o poder oculto se deu conta que se Ele continuasse a igreja ía ficar sem o poder, por que o "caminho" liberta as pessoas. Então deram um jeito de tirá-lo de circulação, mas seus apóstolos já haviam entendido a mensagem, haviam encontrado o "caminho" e com isso deram continuidade na libertação das pessoas do poder religioso, político e tudo aquilo que aprisiona um homem.

Então, deu-se início à perseguição aos apóstolos, mas os discípulos já haviam entendido a mensagem e encontraram o caminho da libertação. Quem encontra o caminho, prefere a morte a ser escravo novamente. Essa foi a grande característica dos cristãos primitivos. O poder oculto percebendo isso, astuto como serpente, uma víbora perigosa, institucionalizou o caminho, deixou de perseguir os cristãos e mais tarde obrigou a todos a seguirem a religião sob pena da morte. Mas o segredo ficou esquecido. Sobrou apenas o dogmatismo religioso. Reuniram do paganismo, do judaísmo e outras religiões antigas os ritos e indumentárias criando assim o catolicismo e, com a riqueza, deram o brilho enganoso aos olhos dos fiéis que passaram a ver aquilo como o poder de Deus.

Jesus ensinou que Deus não castiga. A igreja castigava quem não seguia seus preceitos. Jesus ensinou que Deus é vida. A igreja matava quem não obedecia. Jesus ensinou que Deus é amor. A igreja encheu de ódio seu coração contra os que insistiam com o "caminho". Jesus ensinou que devíamos amor a Deus, que deveríamos temer a Deus, mas Deus, por meio da igreja, passou a ser um tirano que premia seus filhos com a morte. Mas, Jesus ensinou e demonstrou que a morte não existe e que um filho de Deus é eterno.

A Igreja queimou os livros que mostravam o "caminho", retirou daqueles que selecionou como bíblia, as partes que podiam revelar uma pista sobre o caminho que liberta e ficamos presos dentro de um sistema poderoso e enganador que mostra o caminho onde ele não está. Mostra Deus onde não pode ser encontrado. Mesmo assim, dentro da igreja católica surgiram muitos santos, por seu coração puro, por sua fé inabalável. Deus por meio de seus filhos maiores, nossos mestres, revelaram a estes seres o caminho e, portanto, se salvaram deste domínio.

Enio Chiappetti

Data
Artigos
As páginas deste site são acompanhadas com músicas que elevam a consciência.