Login
Artigos Semanais
Enfim 2013
04/01/2013

Todos os anos, se cria expeditivas para o ano novo, sempre na esperança de que tudo vai mudar. Mas o que vemos é que sai o ano velho, entra o ano novo e as coisas seguem seu ritmo sem grandes mudanças.

Aguardamos ansiosamente o ano de 2012 e por que não temerosamente, uma vez que as profecias indicavam para este ano, profundas transformações.

Quando os europeus conquistaram a América, dizimaram milhares e milhares de índios, sem se perguntarem quem eram e o que sabiam. Foram considerados desalmados pela igreja católica e o uso, abuso e morte deles não implicavam em nenhuma pena ou pecado. Impuseram novos hábitos, costumes, língua, religião sem se importarem com que eles pensavam. Passou-se 500 anos e a poderosa cultura ocidental se rende diante das profecias Maias, se perguntando o que de fato eles conheciam que não quisemos aprender com eles no passado, preferindo não só ignorá-los, mas matá-los pelo ouro a única coisa que interessava aos conquistadores.

A ignorância de hoje é ainda mais espantosa, pois os mesmos que temeram o fim do mundo dizem, viu, não aconteceu nada, o mundo continua o mesmo, os Maias não sabiam nada.

Pois vos falo querido leitor, os Maias e não só eles, os Incas e demais culturas que aqui viviam, tinham um conhecimento que ultrapassava em muito, não somente os dos Europeus daquela época, mas o conhecimento que possuímos hoje. Seus conhecimentos não se baseavam na matéria, mas na espiritualidade. Quando se conhece a espiritualidade é como saber tudo sobre uma semente e poderemos prever que árvore vai dela se desenvolver. Eles sabiam que vinham os conquistadores e deixaram escritos em seus livros sobre a conquista de um povo do além-mar que, como bárbaros, devorariam tudo o que viam pela frente. Como não possuíam o domínio sobre a matéria, não exploraram a pólvora e com isso não tinham o que fazer.

Os Maias mais espiritualizados e era uma grande maioria, desapareceram sem deixar rastros, abandonaram suas cidades, dezenas delas maiores que muitas cidades da Europa. Um mistério difícil de entender para uma cultura materialista e de uma espiritualidade morta.

Os Maias não erraram suas previsões, por que elas são precisas, matemáticas e astronômicas, tudo está se passando conforme previram, nós é que por ignorância acreditávamos que era o fim do mundo, em quanto que na verdade eles previram o fim de uma conduta, de um tempo, de uma ordem e forma de proceder e o começo de outra forma de viver, com outra visão, comportamento, entendimento, sensibilidade, compreensão de quem somos e para onde vamos. Nós continuamos os bárbaros de ontem, por que nos falta à sensibilidade do espírito e a compreensão da consciência para ver que tudo está mudando e de que os Maias estavam e estão certos.

O mundo não será mais o mesmo, a terra em seu movimento pelo espaço, (trinta quilômetros por segundo) acabou de concluir um ciclo de mais ou menos 26.000 anos, dando uma volta completa através do cinturão zodiacal. Sempre que isso se processa e inicia um novo ciclo, recebe-se mais luz física, espiritual e o ser humano toma uma nova consciência.

A consciência que estamos tomando agora é a de uma unidade entre todos, de que estamos totalmente interligados e interdependentes. De que tudo o que fazemos de mal a nosso semelhante ou natureza, incidem diretamente sobre nós. Sendo assim o homem vai mudar sua forma de agir e de pensar, se preocupando mais em fazer o bem alheio do que no egoísmo pessoal, tudo isso os Maias sabiam e continuam, a saber, porque eles não foram embora, continuam conosco em outro plano de consciência, assim como Cristo não foi embora, Buda não foi embora, Krisna, Nitche, Platão, Teles de Mileto, Hermes Trismegistro e tantos seres que atingiram a consciência dos Maias ou ainda maior e continuam conosco. Ninguém se separa, por que somos como moléculas que compõem um corpo, embora separadas é necessário que estejam juntas e em harmonia, para que o corpo a que elas compõem, permaneça vivo. Nós somos como uma molécula que compõe um corpo chamado humanidade, dependemos uns dos outros para viver, por isso Jesus disse: Aquilo que fazes para teu irmão é a mim que fazes, porque eu e ele somos um só.

Se te interessa saber o que acontecerá com esta humanidade que não despertar sua consciência para viver este novo mundo que os Maias predicaram, eu me atreverei de imaginar e te contarei o resultado desta minha imaginação, na próxima semana.

Entra ano e sai ano e já que a humanidade não muda, o universo se encarregou, por sua própria condição, tempo e espaço de realizá-lo.

Feliz ano novo!!

Enio Chiappetti

Data
Artigos
As páginas deste site são acompanhadas com músicas que elevam a consciência.